Vitamina E: descubra para que serve e quais seus principais benefícios para a saúde

Saúde | Atualizado em 22 outubro 2019

vitamina-e-oleaginosas
A vitamina E está muito presente nas oleaginosas e em outros alimentos.

Você está fazendo um acompanhamento do nível de vitaminas presentes no seu organismo?

Essa é uma atitude essencial para manter o bom funcionamento do seu corpo, especialmente quando se tratar de nutrientes essenciais, como a vitamina E.  

Ela é uma das mais importantes para quem ter um rotina intensa de exercícios físicos, mas também é um item fundamental para o bom funcionamento do metabolismo.

Se você deseja prevenir doenças e combater o envelhecimento precoce, por exemplo, deve apostar em uma dieta rica em alimentos que são fonte de vitamina E. 

Hoje eu vou te contar mais sobre essa vitamina E, como ela age a favor da nossa saúde e em quais alimentos você pode encontrá-la. Vem conhecer mais sobre esse nutriente que não pode ficar de fora do seu dia a dia!

Para que serve a Vitamina E? 

A vitamina E é um nutriente essencial para o funcionamento do organismo. Também chamada de tocoferol, ela faz parte do conjunto de vitaminas lipossolúveis — nutrientes que dependem de gordura para serem absorvidos — e sua principal função é a de ser um forte antioxidante. 

Dessa forma, ela atua diretamente no combate aos radicais livres que podem prejudicar as células do nosso corpo, causando o envelhecimento precoce e até doenças graves como o câncer. 

Também é responsável por prevenir doenças cardíacas, o câncer de próstata, a degeneração da mácula e doenças degenerativas como o Alzheimer e a Esclerose Lateral Amiotrófica.

Para as gestantes, esse nutriente podem prevenir a pré-eclâmpsia. Conheça, a seguir, outros benefícios em consumir a vitamina E. 

Vitamina E: benefícios para a saúde

São muitos os benefícios dela para o organismo. Para os recém-nascidos, este é um nutriente vital, já que os bebês com pouco peso ao nascer geralmente têm baixos níveis plasmáticos e de vitamina E, o que pode deixá-los expostos a infecções. Para crianças e adultos, os benefícios são outros. Confira: 

  • Melhora a fertilidade;
  • Contribui para o controle do colesterol “ruim”, o LDL;
  • Possui propriedade anti-inflamatória
  • Melhora a capacidade cognitiva; 
  • Protege as funções cerebrais; 
  • Rejuvenesce e ajuda a cicatrizar a pele
  • Atua como antioxidante; 
  • Protege o organismo contra vírus, fungos e bactérias; 
  • Reforça o sistema imunológico.

Saiba, em detalhes, como essa vitamina atua no organismo. 

Ação antioxidante

A vitamina E é conhecida principalmente por ser um antioxidante.

Essa propriedade permite que o nutriente combata os radicais livres presentes no organismo, elementos responsáveis por destruir nossas células e nos deixar vulneráveis para desenvolver doenças cardiovasculares e cerebrais degenerativas. 

Protege o coração

Estudos apontam que a vitamina E é capaz de melhorar a função cardíaca por proporcionar um relaxamento dos vasos sanguíneos e diminuir a formação de substâncias que podem obstruí-los.

Em homens e mulheres de meia idade, a vitamina E pode ajudar a reduzir o risco de doenças coronárias por conta da ação antioxidante desse nutriente. 

Previne doenças degenerativas

A suplementação de vitamina E contribui para o retardamento ou prevenção da Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA).

O nutriente associado à vitamina C forma um poderoso antioxidante que também pode ser usado para reduzir a incidência da doença de Alzheimer.

Porém, são necessários mais estudos e pesquisas para comprovar a eficácia deste benefício. 

Ajuda na gestação

vitamina-e-faz-bem-gestante
A vitamina E é benéfica para as gestantes, sabia? Veja os benefícios

A vitamina E pode ajudar na prevenção da pré-eclâmpsia, condição que ocorre em parte pelo estresse oxidativo aumentado na placenta.

Em casos de mães desnutridas, o consumo de um tipo ativo de vitamina E, chamado de alfa-tocoferol, previne esse estresse na placenta materna e reduz os riscos de hipertensão nos bebês quando em idade adulta. 

Alimentos ricos em vitamina E

Os alimentos fonte de vitamina E são principalmente, de origem vegetal, como frutas secas, óleos vegetais, cereais integrais, sementes, além da gema de ovo. Veja uma lista completa desses alimentos: 

  • Óleo de soja, palma, amendoim, milho, cártamo ou girassol; 
  • Azeite 
  • Nozes, amêndoas, castanha-do-Pará;
  • Sementes de girassol; 
  • Gérmen de trigo e grãos integrais
  • Abacate; 
  • Alimentos de origem vegetal, principalmente os verde-escuros; 
  • Alimentos de origem animal, como gema de ovo e fígado. 

Veja uma lista de alimentos com alto teor de vitamina E e a quantidade diária recomendada para ingestão de cada um deles: 

AlimentoQuantidade recomendada
Óleo de gérmen de trigo  15 g 
Semente de girassol seca e torrada28,3 g
Amêndoa seca e torrada 28,3 g
Óleo de girassol 15 g
Óleo de cártamo15 g
Avelã seca e torrada28,3 g
Amendoim seco e torrado28,3 g

Cardápio rico em vitamina E

vitamina-e
Veja cardápio rico em Vitamina E

Café da manhã

  • 1 iogurte natural + 2 ovos cozidos com creme de ricota 
  • Vitamina de abacate com aveia 
  • Café sem açúcar + omelete com queijo 

Lanche da manhã

  • 2 kiwis
  • 1 pera + 3 castanhas-do-pará 
  • 3 colheres (sopa) de abacate amassado com ½ colher (sopa) de mel 

Almoço/Jantar

  • Bacalhau ao forno com batatas gratinadas e salada
  • Filé de salmão grelhado com arroz integral e vegetais no vapor 
  • Carne cozida com purê de abóbora e salada refogada

Lanche da tarde

  • 3 torradas com guacamole e café 
  • Café + crepioca com recheio de queijo 
  • 1 iogurte natural + 15 amendoins

Deficiência de vitamina E

A deficiência desse nutriente no organismo é rara em seres humanos. Ela quase sempre acontece em casos de doenças hereditárias ou adquiridas que prejudicam a capacidade de absorção desse nutriente. Fibrose cística e síndrome do intestino curto, por exemplo, são alguns exemplos de condições que interferem na assimilação de vitamina E pelo corpo. 

Veja uma tabela que indica a quantidade recomendada de vitamina E por dia para diferentes perfis: 

PerfisVitamina E (mg/d)
Bebês 0-6 meses 4
Bebês 7-12 meses5
Crianças 1-3 anos6
Crianças 4-8 anos 7
Crianças 9-13 anos 11
Adolescentes 14-18 anos 15
Adultos (acima de 19 anos)15
Gestantes15
Lactantes19 

Para diagnosticar a deficiência de vitamina E é preciso procurar um médico, que vai avaliar por meio de história clínica ou por meio de dosagem laboratorial a falta desse nutriente no organismo.

Os sintomas mais comuns são fraqueza muscular, problemas de visão, alterações do sistema imunológico, dormência, tremores, dificuldade em andar e outros. 

Suplemento de vitamina E

Como a deficiência de vitamina E é uma condição rara em seres humano, são poucos os casos em que é necessário fazer uso de suplemento desse nutriente. Portanto, ele só deve ser ingerido por meio de recomendações e acompanhamento médico. Em casos de doenças como problemas de absorção intestinal, por exemplo, o suplemento é indicado. 

Vale lembrar que não se deve consumir vitamina E em quantidade maior do que 1000 mg por dia. O risco excessivo desse nutriente pode fazer com que ele tenha uma ação oxidante no organismo

E você, amiga, está com um nível regulado de vitamina E no seu organismo? A sua dieta abrange alimentos que são fonte desse nutriente? Deixe o seu comentário! 

Para melhorar os resultados com sua pele, é importante também manter um tratamento com colágeno hidrolisado. Conheça aqui as marcas que mais confio.

Até a próxima!